Anúncio

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Falece em Rio Casca aos 98 anos, o grande Maestro Gorazil Romão de Carvalho

Faleceu na tarde de ontem (9/11) em Rio Casca, aos 98 anos, o Sr. Gorazil Romão de Carvalho, grande maestro que durante anos conduziu os trabalhos frente a Corporação Musical Santa Cecília.

O Maestro era filho do Sr. João Romão de Carvalho e da Sra. Efigênia, sendo seu pai também um maestro de grande renome na cidade.

Gorazil deixou esposa, quatro filhos, além de netos e bisneto.

É comum ouvir de seus ex-alunos a importância que os ensinamentos do maestro tiveram para seu aprendizado musical e dos conceitos que levarão por toda a vida.



Rigoroso com seus ensinamentos, o Sr. Gorazil era exigente com seus alunos, procurando sempre progredir e melhorar a cada dia.

Foram anos trazendo alegria e melodia na vida dos riocasquenses. De todos nós da cidade, nosso muito obrigado grande maestro e nossos sinceros sentimentos à família.

Rio Casca perde um grande cidadão e a música perde um grande maestro.

Em certa ocasião, nossos amigos Rodrigo Augusto e Washington Lasmar, fizeram uma homenagem ao maestro Gorazil, composta por uma linda foto e um poema de igual beleza que estão reproduzidos abaixo:



PAIXÃO ALÉM DOS SENTIDOS



Todos os instrumentos se voltam para ele!

Filhos cercando o pai
que nunca os abandonou,
cada um vai contar sua história,
e de quem os tocou.
Saxofones, trombones, bombardinos,
todos os meninos.
Trumpetes, caixas, tubas, requintas,
todas as meninas.


O pai-maestro com as mãos

rege o povo e a banda!
Entra em cena a clarineta,
que o dobrado comanda!


Só o tempo

vai poder desfrutar
do som eterno da madeira,
branda por dentro,
negra por fora,
banda no centro,
negro namora,
solta no vento,
negra senhora.
Canta o invento,
canta o instrumento
do mestre
que faz a hora.


O pai-maestro com as mãos

rege o povo e a banda!
Entre em cena o saxofone,
em marcha, frevo e ciranda!


Só o tempo

vai poder desfrutar
do calor no inverno a soar.
Franco por dentro,
prata por fora,
banda no centro,
ouro que ancora,
dança do vento,
trilha da aurora.
Canta o invento,
canta o instrumento
do mestre
que faz a hora.


Todas as pessoas deveriam se voltar para ele,

corações cercando o pai,
que nunca os abandonou,
cada um podendo contar da memória
o que os emocionou!
Políticos, religiosos, pobres, grã-finos,
todos os meninos.
Empresárias, professoras, bailarinas,
todas as meninas.


Em meio à tudo e à todos,

em primeiro plano,
o maestro mantém seu olhar,
longe do horizonte,
longe dos outros olhos,
abraçado ao seu instrumento,
perto do melhor dos sentimentos!


Cabelos brancos, veias dilatadas,

hábil, franze a fronte, 
intenso!
Rompendo dias, madrugadas,
os dedos, o sopro de um homem 
imenso!
Paixão além dos sentidos!

Um comentário:

  1. Por longos anos,ouvia-se pelas ruas de Rio Casca a Banda Santa Cecília, alegrando gente,sobre o comando deste grande músico.Rio Casca agradece os grandes momentos em que sua música estava sendo ouvida.Toque aos anjos,eles irão aplaudir de pé.

    ResponderExcluir